O Cenário

Qual é o consumo médio de água, gás e energia elétrica nas áreas comuns de seu condomínio?
Será que esse consumo é menor, igual ou superior ao de edifícios parecidos?
Como o síndico e sua administradora podem ter parâmetros de comparação e, assim, identificar a necessidade (ou não) de medidas corretivas, ou até mesmo estabelecer metas de redução, adotando novas medidas?

A Situação

Até hoje, não existe nenhum tipo de banco de dados que forneça elementos para uma análise comparativa.
Se considerarmos particularmente o consumo de água, cuja participação nas despesas condominiais é significativa, isso sem considerar os riscos de racionamento em épocas de estiagem, é fundamental ter referências e, assim, investigar a existência de problemas como vazamentos e outros.

A Solução

Diante da total falta de informações, o Secovi-SP, sindicato que representa o setor imobiliário e os condomínios no Estado de São Paulo, decidiu iniciar levantamentos sobre o estágio do consumo médio de água, luz e gás em edifícios residenciais na capital paulista.
Por meio das vice-presidências de Administração Imobiliária e Condomínios, Tecnologia e Qualidade, e Sustentabilidade, foi estabelecida uma parceria com o Conselho Brasileiro de Construções Sustentáveis (CBCS), que detém grande experiência na apuração de dados e, especialmente, na sugestão de alternativas de solução.
Assim, foi desenvolvido o Programa de Ecoeficiência em Condomínios.
Convidamos síndicos e administradoras a conhecerem o programa e dele participarem ativamente. Isso é imprescindível!
Somente com a alimentação de dados será possível oferecer esse importante serviço a todos os moradores de edifícios residenciais.
E vale lembrar: “quem não mede, não gere”.